ESTADO ISLÂMICO


Vamos entender o que é o Estado Islâmico?

O surgimento do Estado Islâmico que já é conhecido pela sigla El, tem sua origem no grupo terroristas Al-Qaeda do Iraque. Em razão da derrubada do ditador Saddam Hussein pelos EUA, o grupo Al-Qaeda fica enfraquecido. A crise política ocorrida no Iraque deu origem ao surgimento do grupo terrorista El, pois a Al-Qaeda no qual tinha uma grande atuação no território iraquiano e parte da Síria, faz nascer o El, porém, com muitas ações mais radicais que a Al-Qaeda. As ações praticadas pelo grupo EI, por serem mais extremista, acabou provocando a separação entre as organizações terroristas. O EI está fundamentada na ideologia pan-islâmica de Sayyid Qutb, antigo líder da Irmandade Muçulmana. 

O grupo terrorista Estado Islâmico, tem como objetivo expandir o seu califado por todo o Oriente Médio, além de estabelecer conexões na Europa e outras regiões do planeta, através de atentados para lhe conferir autoridade. 

segunda-feira, 13 de abril de 2015
Posted by Francisco Geo

ESPAÇO RURAL


O solo é um recurso fundamental para a sobrevivência da humanidade, pois dele tiramos grande parte dos nossos alimentos. A cobertura vegetal é de grande importância na proteção do solo. O maior impacto que o solo sofre é com a erosão. A ocorrência se dá em razão pela retirada da cobertura vegetal, tornando propício a processos erosivos.

Como podemos proteger os nossos solos? Vamos lá!

- Como já foi dito acima, a cobertura vegetal é de suma importância, pois protege os solos dos processos erosivos. A gota da chuva ao cair numa aŕea sem cobertura vegetal acaba retirando todos os nutrientes do solo (erosão por splash) e, com isso, temos o processo de lixiviação. 
 

- A realização do plantio acompanhado de uma curva de nível, é muito importante. A curva de nível evita que a água da chuva desça a vertente com grande velocidade, assim evita a erosão.

- A consorciação de culturas tem suas vantagens.  Por exemplo, o consórcio de  lavouras com o plantio de vegetais como o eucalipto, bambu e cana-de-açúcar, funcionam como barreira de proteção em relação à erosão eólica e pluvial.

- É de suma importância a preservação e conservação de matas ciliares, pois estes protegem os nossos mananciais, impedindo que as águas da chuvas transportes sedimentos, cascalhos para o fundo dos rios (talvegue), assim não tendo o perigo do assoreamento.

- Outra prática seria preservar as regiões acidentadas evitando o desenvolvimento da agricultura, assim como as áreas de solos frágeis que facilmente são afetadas com a erosão.

Vamos entender por que de tanto desmatamento na maior floresta do mundo.
  • Podemos apontar que as principais causas começam com a retirada da madeira, de forma ilegal. Tais madeiras são madeiras de lei, que tem o seu valor destinadas ao comércio.
  • Outra situação seria as queimadas ilegais, para da lugar as pastagens (criação de gado) e também para culturas, principalmente  a soja.
  • Os assentamentos humanos também aparecem como consequência do desmatamento, resultado do crescimento populacional na região.
Infelizmente o resultado de tudo isso é a extinção das nossas espécies de vegetais e de animais onde encontramos espécies endêmicas. Tudo isso provoca um desequilíbrio na floresta Amazônica, lembrando que as queimadas também resultam no aumento da poluição do ar.

Tipos de solos:
  • Nos países de clima temperado, temos os solos ricos em nutrientes como o tchernozion (tcherno = negrume - zion = terra), tem extraordinária fertilidade. São solos de coloração negra, rico em húmus. Esse tipo de solo é encontrado na Ucrânia e na Rússia.
  • Os solos podzólicos também de clima temperado, são poucos profundos, fértil e ácido.
  • Os solos eluviais são solo que surgem da degradação da rocha no próprio local. Com o exemplo, podemos citar o massapé e as terras roxas e a laterita. No massapé, litoral da região nordeste temos a cultura da cana de açúcar introduzida pelos portugueses em razão da boa qualidade do solo. Nas terras roxas, (oeste de São Paulo  associamos a cultura do café.
  • Os solos aluviais são solos formados pelo transporte de materiais feito pelas águas correntes ou pelo vento. Como exemplo, citamos os solos de várzea e o loess.

- Sobre o uso da água, observamos hoje que a atividade agrícola é a que mais se utiliza desse recurso. Para se ter uma ideia, à produção de um quilo de soja, por exemplo, são utilizados milhares de litros de água.

- Os EUA é uma grande potência agrícola atualmente. Essa potencialidade apresenta modelos diferentes de políticas para a agricultura, variando de acordo com os contextos históricos, geográficos e geológicos de cada localidade. Possui um elevado grau de protecionismo implementado pelo governo aos agricultores nacionais, bem como a elevada mecanização do processo produtivo em todas as suas etapas.

- Os avanços tecnológicos foi o grande aliado nessa potencialidade. A produção de sementes selecionadas e o alto grau de mecanização o tornam potência agrícola.  O intenso êxodo rural, reduziu em torno de menos de 3% da população empregada no campo. A redução nada significou, pois os EUA continua como o maior produtor agrícola de todo o mundo. 

O cultivo agrícola estadunidense se caracteriza  pelo zoneamento da produção, o que é assinalado pela formação dos belts, ou cinturões agrícolas.  Exemplos: o Dairy Belt (cinturão do leite), o Corn Belt (cinturão do milho), o Wheat Belt (cinturão do trigo) e Cotton Belt (cinturão do algodão).

- A alta mecanização do campo o que resulta em alta produção, devido as evoluções tecnológicas, emprega-se basicamente um pequeno grupo de pessoas que dispõem de especializações em técnicas e maquinários agrícolas.

- Lembrando que as principais potências agrícolas internacionais são, atualmente os EUA e a União Europeia, que buscam tanto o mercado externo como o interno.


  Entenda o que é o agronegócio:

  • conjunto da cadeia produtiva ligado à agropecuária;
  • inclui todas as atividades de indústria e serviços de antes, durante e depois da produção;
  • essa cadeia movimenta a economia, ao empregar trabalhadores, gerar renda e pagar impostos.  

Revolução Verde

Foi um programa financiado pelo grupo Rockefeller, sediado em Nova Iorque.

Esse nome foi designado para se referir aos processos de transformação tecnológica da produção agrícola, através de maquinários modernos e de estudos científicos avançados sobre os solos. 

A Revolução Verde surgiu com o propósito de aumentar a produção agrícola através de desenvolvimento de pesquisas em sementes, fertilização e utilização de maquinário.

A produção aumentou, porém, não acabou com a fome.

Resultou numa maior concentração de terras.

Agora é com vocês. Defina: laterização e lixiviação.

 

fontes: www.brasilescola.com
O espaço brasileiro  J. William Vesentini

 















Posted by Francisco Geo

ATENÇÃO TURMAS 1001/1002 - 2001/2002

Sociologia

O surgimento da Sociologia deu-se pela consolidação do sistema capitalista na Europa (séc. XIX), deu subsídios que serviram de base para seu surgimento como ciência particular. O homem passa a ser visto, do ponto de vista sociológico, a partir de sua inserção na sociedade e nos grupos sociais que a constituem. Aquilo que a sociologia estuda, constitui-se historicamente como o conjunto de relacionamentos que os homens estabeleceram entre si na vida em sociedade. Interessa a sociologia, não indivíduos isolados, mas inter-relacionados com os diferentes grupos sociais do quais fazem parte, como a escola, a família, as classes sociais etc.

Recordando:

Período Neolítico – o homem aprende a domesticar plantas e animais. Ficamos conhecendo a “Revolução Agrícola”
O início do Neolítico está diretamente ligado à transformação climática decorrente do fim da última glaciação, há 12.000 mil anos.

O aquecimento do nosso planeta acabou levando a extinção de muitas espécies tanto animais como vegetais que eram consumidas pelos antigos caçadores e coletores. O homem do período neolítico foi forçado a estabelecer novas formas de relacionamento com a natureza, passando a manipular e controlar a reprodução de animais como ovelhas e cabras e plantas como trigo e cevada.

O homem com o desenvolvimento da agricultura e da criação de animais foi aos poucos deixando de ser nômade e passando a viver em grupos, ou seja, em aldeia. Ao mesmo tempo desenvolveu a acumulação de bens, como rebanhos, grãos armazenados em celeiros, objetos de trabalho como foices, enxadas, pedras de moinho e objetos de adornos, cerâmicas decoradas e armas. Isso acabou representando um incentivo para guerra.

Há evidências de que o fogo já era utilizado pelo homem na Europa e na Ásia, no período Paleolítico. O período paleolítico está para as sociedades de caçadores-coletores assim como o período neolítico está para agricultura e a criação de animais. Tanto no período paleolítico como no período neolítico referem-se à forma de tratamento da pedra.

O período denominado paleolítico se inicia há aproximadamente 8000 a.C. e se estende até, aproximadamente quatro milhões de anos, e se estende até cerca de 10000 anos.
O período denominado como neolítico se inicia há aproximadamente 8000 a.C. e se estende até, aproximadamente, 4000 a.C.

O Paleolítico é caracterizado como período da pedra lascada, em que o homem era nômade e travava a luta pela sobrevivência tendo por base a caça, a pesca e a coleta.
Sobre “Revolução Neolítica”, também conhecida como “Revolução Agrícola”, teve início devido a vários fatores, entre quais as mudanças climáticas de repercussão planetária e ao aumento da população humana em certas áreas do globo.

Sabemos que o surgimento da agricultura e seu uso intensivo pelo homem ocorreram em tempos diferentes, no Oriente Próximo (Egito e Mesopotâmia) e na Ásia (Índia e China) e na América (México e Peru).



2001/2002

Polis quer dizer cidade. Significava para os gregos, a arte de governar a cidade. Pode ser definida com a luta pelo poder, ou seja, o jogo de forças para a conquista do poder ou para permanência deste. Deu origem a palavra política

Existem vários fatore que justificam o desenvolvimento da política, entre eles podemos citar separação do poder político, separação da autoridade militar do poder civil, criação do espaço público.
  
Retratam um indivíduo político – refletir – argumentar – discernir – analisar  - competência para pensar.



  

     
domingo, 12 de abril de 2015
Posted by Francisco Geo

ESPAÇO GEOGRÁFICO RURAL




O ser humano é o principal elemento de transformação do espaço.
Surgem assim novas paisagens:

  • Paisagem Rural
  • Paisagem Urbana
  • Paisagem Natural – aquela que não sofreu nenhuma ação humana. As transformações ocorrem pela ação dos elementos da natureza: furacões, chuvas, rios, neve, vulcões etc.

Esses elementos modificam a paisagem normalmente em longos ciclos.
Quando temos a ação humana na natureza, determinamos o espaço como “espaço geográfico”.

Dois aspectos principais que caracterizam o chamado Espaço Geográfico:

·         As transformações foram rápidas. Os elementos naturais foram quase que eliminados.
        Como exemplo, temos os grandes centros urbanos.
·         Organização do espaço.

O homem no espaço natural com funções específicas:

  • Exploração de minérios
  • Obtenção de água
  • Produção de alimentos
  • Extração de madeiras
  • Lazer
  • Estradas


Tudo isso transforma os espaços naturais em espaço geográfico.


  • Cada espaço geográfico tem uma função diferente e características próprias.
  • A transformação do espaço natural incialmente é baseada na economia predatória:
Os grupos humanos existentes retiram tudo que precisavam da natureza como a coleta de frutos, raízes, caça e pesca.

- Esse período é denominado de Período Paleolítico. Nesse período usavam-se instrumentos e armas rudimentares, onde a maioria era feitos com pedras lascadas (Idade da Pedra Lascada).

- Período Paleolítico é marcado também pela descoberta do fogo, machados e arco e flecha.

Obs.: Os agrupamentos urbanos se deslocavam em busca de alimentos e clima mais agradável. (Nomadismo)

- Período Neolítico – Idade da Pedra Polida. Característica desse período são os agrupamentos humanos que se fixam (sedentarização), a descoberta da agricultura e pecuária.

Obs.: Surgem os primeiros núcleos do espaço geográfico rural.

- Toda essa transformação, assinala a passagem da Pré-história para a História – Produção Agrícola.

- A partir deste momento, o homem passa a ter um domínio maior sobre a natureza como armazenamento de cereais, frutas, carne, etc.

- As primeiras aglomerações surgiram nos vales dos rios Nilo (África), Tigre e Eufrates, Ganges e Amarelo.

- Novas técnicas e invenções surgem: cerâmica, tecelagem, roda, moinhos e fundição de metais.

- O Espaço Rural depende da natureza. Elementos essenciais: água, alimentos e energia.

- Os elementos por mais artificiais que pareçam, tem como base as matérias-primas que são provenientes da natureza.

- O homem com essa necessidade, acabou provocando profundas transformações ao meio.

- As alterações foram rápidas, resultando em alguns problemas.

- A natureza não tem tempo repor todos os recursos renováveis. Isso se deve:


  • A aceleração do crescimento populacional
  • Rápida urbanização
  • Inserção de pessoas na sociedade de consumo
  • Aumento do volume dos produtos industrializados

- O processo é acelerado, o que resulta na dificuldade de encontrar soluções rápidas a fim de amenizar tal impacto ao meio ambiente.

- Muitos recursos podem vir a refletir, como exemplo, temos a questão da água em algumas partes do mundo, inclusive no Brasil.

- A natureza não determina o homem e nem o homem a natureza, mas há uma interelação entre o homem e a natureza.

- Os recursos naturais estão distribuídos de maneira irregular, o que pode influenciar a organização socioeconômica humana.

- As novas tecnologias tem buscado diminuir a influência da natureza sobre a humanidade. Exemplo: irrigação em lugares desérticos.

- Infelizmente, nem todos detém de tais tecnologias. Algumas sociedades por possuírem mais recursos, desfrutam destas modernidades.

- A natureza impõem limites.

·         Mesmo como toda a modernidade, o homem não rompeu definitivamente com a natureza.

·         Existem as barreiras climáticas, locais inóspitos que dificultam à agropecuária.

·         Alguns produtos aqui fáceis de serem produzidos tornam-se raros em países de clima temperado.

·         Os climas representam o limite mais evidente para a agropecuária.

·         Áreas polares, as altas montanhas, regiões semiáridas e áridas, são difíceis para o cultivo. Mesmo com as novas tecnologias, seus custos são altos.

Obs.: As áreas de difícil ocupação humana recebe o nome de anecúmenos.

- A humanidade como distribuidora de espécies:

·         Século XV temos as grandes navegações – ocorre o processo de aceleração das espécies.

- Nos dias de hoje, o contrabando de espécies raras, continuam, no caso para as indústrias farmacêuticas (biopirataria).

- A Amazônia e o Cerrado são dos dois grandes biomas brasileiros que sofrem com a biopirataria, em razão da sua biodiversidade.

- Os avanços tecnológicos tem permitido o processo de expansão das áreas onde são cultivadas as diferentes espécies de vegetais:
  • Aumento das áreas cultiváveis – áreas até então impróprias para o cultivo como   zonas áridas e semiáridas, hoje são produtivas. Uso sistema de gotejamento,  irrigação, adubação química do solo, reviramento do solo e etc.  
  • Aumento das áreas cultiváveis – áreas até então impróprias para o cultivo como zonas áridas e semiáridas, hoje são produtivas. Uso sistema de gotejamento, irrigação, adubação química do solo, reviramento do solo e etc.


·   Aumento das áreas cultiváveis – áreas até então impróprias para o cultivo como zonas áridas e semiáridas, hoje são produtivas. Uso sistema de gotejamento, irrigação, adubação química do solo, reviramento do solo e etc.

·    Tudo isso, colabora para o aumento da produtividade. As pesquisas em biotecnologia na criação de sementes e plantas mais resistentes a pragas, evolução de técnicas e instrumentos agrícolas.

ESPAÇO RURAL

As três primeiras atividades econômicas do meio rural:

  • Extrativismo (vegetal e animal)
  • Agricultura
  • Pecuária

- Coma Revolução Industrial, aumenta-se o cultivo de plantas (meados do século XIX)
·         Grande crescimento populacional – maior demanda por produtos agrícolas para a alimentação e vestuário.

·         As áreas cultiváveis do mundo representam somente 14,9%. Os obstáculos como áreas áridas, desertos, geleiras e montanhas, dificultam o cultivo, daí da forte intervenção humana.

·         O habitat rural vai variar de região para região.

- Habitat rural tradicional – caracterizada pela dependência da força de trabalho humana e animal. Isolamento da economia moderna. Pouco ou nenhum contato com as cidades. Pode ser disperso ou aglomerado.

- Habitat rural moderno – comum em países desenvolvidos e em alguns países subdesenvolvidos industrializados. São modernas e mecanizadas. Integração a economia mais moderna e as cidades. Relação campo-cidade. O campo fornece alimentos e matérias-primas e a cidade em troca fornece maquinários agrícolas, adubos, pesticidas e etc.

- Esvaziamento do Espaço Rural

O campo vem sofrendo, esvaziamento. O processo de esvaziamento acelera a partir do século XIX com a Revolução Industrial.

O processo de urbanização é desigual. País desenvolvido tem maior urbanização e um campo mais vazio.

AGROINDÚSTRIA

- Foi impulsionada com o fim do colonialismo e ampliação da Revolução Industrial.
O processo de desenvolvimento da agroindústria, só se desenvolveu em razão da expansão da urbanização. O processo de urbanização provoca uma necessidade maior de produtos (matérias-primas), daí da sua modernização. Utiliza-se um número, reduzido de mão de obra, pois o emprego de novas tecnologias substitui o homem. O uso de trabalhadores permanentes é baixo (motoristas, agrônomos e veterinários). Temos os temporários. Aqui no Brasil são os boias-frias. No EUA, os imigrantes ilegais servem de mão de obra para as lavouras.

- Década de 1970 – expansão da agroindústria no Brasil. Produção de cana-de-açúcar. Crise do Petróleo em 1973 – Governo cria o Proálcool.

- As nossas lavouras hoje, sofre com a redução da mão de obra temporária, especialmente na época de colheitas como a cana de açúcar.

- Motivos da Redução – introdução das máquinas agrícolas, mecanização do campo, mão de obra especializada.

- Consequências – êxodo rural, que vai provocar inchaços urbanos nas pequenas e médias cidades, originando bairros pobres, periferia, problemas tipos de cidades grandes.

- No Brasil, a agroindústria expande-se desde 1970. No centro-sul surgem grandes complexos.

- A soja depois da cana-de-açúcar ganha espaço na agroindústria. Inicialmente foi cultivada no sul do país e depois passo a ser cultivada no centro-oeste. O cultivo no centro-oeste deu-se em razão do emprego de tecnologias na qualidade das sementes e na correção dos solos ácidos (sistema de calagem).

- Oeste de SP e o Triângulo Mineiro - áreas modernizadas do país com criação de gado e confinado e ração balanceada.

AGRICULTURA DE SUBSISTÊNCIA

- É aquela onde o camponês produz o necessário para atender as necessidades de sua família, o que resta, ele pode até negociar ou trocar. Utilizam-se técnicas rudimentares, trabalho manual, às vezes com tração animal e baixa produtividade.

AGRICULTURA DE PLATATIONS

- Desenvolvida a partir do século XVI, quando os europeus ampliaram sua expansão colonial na África, Ásia e América. Os portugueses foram os primeiros a instalar esse tipo de agricultura (Açores). A mão de obra era escrava (africana), grandes propriedades (latifúndios), produção voltada para o mercado externo, monocultura (produto tropical).

A QUESTÃO AGRÁRIA NO BRASIL

Grande concentração de terras, confronto inicialmente com os indígenas, terras distribuídas pela Coroa Portuguesa (capitanias hereditárias). A partir do século XIX temos a formação de grandes massas camponesas (fim da escravidão e a vinda de imigrantes).

Século XX - aumento da população rural quanto a concentração de propriedades.  - Agrava mais ainda a questão agrária brasileira. 

1960 - As leis desta década acaba gerando o quadro atual - fim do colonato e a expulsão do trabalhador rural.

- A estrutura agrária no Brasil apresenta-se concentrada nas mãos de uma minoria.

- Tal situação data do Brasil Colônia:

  • princípio uti possidetis - posse pelo uso.
  • cultivo da cana-de-açúcar, utilizavam-se grandes propriedades.
  • século XIX - nova atividade agrícola (café).
Café - Vale do Paraíba (RJ) - (interiorização) oeste paulista (SP) - formação de uma elite que domina a política e a economia do país (café com leite).

- Sudeste torna-se a região mais rica.
- Junto a produção de café, permiti-se a a agricultura de subsistência. Inicialmente com os escravos, mais tarde os imigrantes. Muitos trabalhadores passam a ser assalariados permanentes, mas sem registro, nem o recolhimento de benefícios e encargos sociais.

1964 - novas leis impostas pelos militares - 13º salário e férias remuneradas. Tais medidas resultam em dispensas nas fazendas e acaba gerando aumento do êxodo rural. migrações  para o centro-oeste em busca de novas terras e surgimento dos sem-terras. 

- A região do sul é a única que diferencia-se de ocupação agrícola:

  • propriedade de pequeno porte (minifúndios)
  • trabalhadores (colonos europeus) (famílias)
  • Policultura
  • clima diferenciado
  • produção para o comércio e sua subsistência
  • garantir a soberania nacional
No governo militar, Castelo Branco sancionou a lei 4504, que tratava do Estatuto da Terra. Até então, foi o melhor proposta organizada de reforma agrária no Brasil. Infelizmente esse projeto acabou sendo marginalizada.


Observação:

- Grileiro termo dado a pessoa que forjam documentos, subornando cartórios, se tornado dono das de terras muitas vezes já ocupada por famílias a anos ou até reservas indígenas, causando conflitos.  

O termo grileiro vem do costume de se colocar grilos dentro de uma caixa com os documentos forjados para esses adquirirem aspecto envelhecido por conta dos excrementos dos grilos.

- Uti possidetis  - é um princípio de direito internacional segundo o qual os países que de fato ocupam um território possuem direito de posse sobre este. 
Pelo Uti Possidetis a terra deveria ser ocupada por aqueles já se encontravam estabelecidos nela, com residência fixa e trabalho nas redondezas. Desta forma os portugueses se firmaram no grande território que hoje forma o Brasil.
Se pararmos para analisar a aplicação desse princípio, observaremos quem de fato teria direito, seria os indígenas que aqui já habitam antes dos portugueses, portanto, os verdadeiro donos.

- Sabemos que  o processo de concentração fundiária caminha junto à industrialização da agropecuária com predomínio de capitais. Os pequenos agricultores não conseguem competir e são forçados a abandonar suas lavouras de subsistência e vender suas terras. A mecanização também contribui para a redução do trabalho humano, exigindo  especialização de funções. Observamos um aumento do trabalho assalariado e de diaristas.



domingo, 15 de março de 2015
Posted by Francisco Geo

TRANSPORTES

Na Era Varga, o transporte ferroviário predominava no Brasil. O Brasil já teve mais de 38 mil quilômetros de ferrovias. Em 1999 a sua rede foi reduzida para um pouco mais de 29 mil quilômetros, quando transportou quase 260 milhões de toneladas e carga.

Em 1860 e até 1870, houve a chamada expansão e evolução do sistema paulista de transporte. A maior parte da atual extensão ferroviária nacional encontra-se na Região Sudeste onde os estados de São Paulo e Minas Gerais têm cada um, cinco mil quilômetros de ferrovias. Tudo isso se deve as estruturas instaladas no auge da economia cafeeira.

Transportam grandes quantidades de mercadoria, com uma quantidade menor de combustível. Tudo isso faz baratear o produto final ao consumidor.
O transporte ferroviário é uma parte fundamental da cadeia logística que facilita as trocas comerciais e o crescimento econômico.

Permite o transporte de cargas de baixo valor total, em grandes quantidades, entre uma origem e um destino, a grandes distâncias, tais como: minérios, produtos siderúrgicos, agrícolas e fertilizantes e etc.

Nos EUA, o setor ferroviário corresponde a 50% da matriz de transporte, com 25% para o rodoviário e 25% para o hidroviário.
No governo de Juscelino temos incentivos as indústrias automobilísticas, mas a verdade é que o Brasil vinha optando pelo setor rodoviário ao priorizar investimentos já desde o inicio do século XX.

O governo JK optou pelo rodoviário como política de governo em grande parte para estimular a vinda de indústrias, em especial do setor automobilístico. A partir daí, o transporte rodoviário toma impulso passando a ser o sistema mais utilizado para o deslocamento de cargas e serviços. É um transporte dinâmico e ágil, sendo muito prático para percorrer pequenas distâncias.

A navegação fluvial no Brasil anda concentra-se principalmente na região Amazônica em razão do povoamento que ocorre nas margens dos rios, já que a região é dominada por uma grande bacia hidrográfica.

Já o aéreo, tem uma grande importância no transporte de passageiros. Exerce um grande papel na ligação entre lugares distantes.

Hoje é muito comum o chamado transporte que se realiza por meio de tubo (dutoviário), onde se transporta oleodutos, minerodutos, substâncias gasosas.


Os custos que muitas empresas tinham no deslocamento de pessoas com hospedagens, passagens e estadias, foram customizadas em razão do avanço tecnológico das telecomunicações e da computação. O tempo foi reduzido trazendo benefícios. Entre eles podemos citar: videoconferência, e-mail, whatsap e outros.


segunda-feira, 17 de novembro de 2014
Posted by Francisco Geo

República Popular da China / Hong Kong

Na década de 1990, a República Popular da China tem um crescimento na razão de 18%. Representa um dos maiores recordes desde o fim da Guerra Fria. Tudo isso se deve as reformas que foram iniciadas na década de 1980, como abertura econômica onde temos a entrada das multinacionais, indústrias voltadas para a exportação, porém, com uma política fechada.


Em 1997 o protetorado britânico Hong Kong, é entregue a República Popular da China. O governo chinês. Mantém status especial para esse tigre asiático, já que possui um padrão socioeconômico muito elevado se comparado ao chinês. A China possui uma estrutura altamente centralizada num único partido o PCCs. Hong Kong com sua economia capitalista apesar de incorporada ao território chinês mantém status de Região Administrativa Especial. Hong Kong deverá manter até 2047 seu sistema econômico, a moeda e um alto grau de autonomia administrativa. A China responderá pela política externa e pela defesa da região.  
Posted by Francisco Geo

Oriente Médio


Essa região marcada por uma série de conflitos:

- Revolução Islâmica no Irã – 1979
- Guerra Irã x Iraque - 1980 - 1988
- Guerra do Golfo – 1990 – 1991
- Governo talibã no Afeganistão (década de 1990)
- Invasão estadunidense ao Afeganistão (2001)
- Invasão estadunidense ao Iraque (2003)

No Irã (1979) ocorre a queda da monarquia, o Xá Reza Pahlevi é retirado do poder, caindo assim a monarquia e a ascensão dos líderes religiosos, dando início da teocracia xiita. Era a Revolução Teocrática, onde os aiatolás que representam os clérigos da mais alta posição na hierarquia do islamismo xiita.
Observamos então, a pretensão do Islã criar Estados islâmicos para que se torne uma nova força mundial. Com isso temos uma unidade entre religião e política que é denominado de fundamentalismo.

O Irã governado pelos aiatolás, sendo o mais famoso na época o Khomeini, já falecido, foi responsável por essas mudanças nesse país (Revolução Islâmica). Esse conjunto de mudanças ocorrido no Irã em 1979, acabou por provocar a queda do Xá Reza Pahlevi.

Sabemos que o Oriente Médio vive uma situação conflitosa explícita e tudo é decorrente de religiões, culturas e interesses estrangeiros por uma série de questões.
Na década de 1990, Saddam Husseuin se acha no direito de invadir o Kwait e anexá-lo, alegando razões históricas. Alegava também que o país invadido estava negociando a venda de petróleo a preço menor e assim prejudicando o país de Saddam. Pediu indenizações milionárias ao governo do Kuwait.

Assim, inicia-se mais um conflito na região sendo conhecida como a Guerra do Golfo.
Os EUA ao sofrerem com o ataque de 11 de setembro, o governo de George Walker Bush decidiram empreender uma “guerra contra ao terror”. A partir desse momento temos uma campanha política, pregando a intervenção no chamado “eixo do mal”. Nesse grupo estaria na época o líder político do Iraque Saddam Hussein.
  
A invasão do Irã sobre o Iraque resultou
O conflito nessa região já vem de longas datas. As guerras entre árabes e judeus, tiveram como causa principal o problema de uma população sem território, dos refugiados palestinos em razão da criação do Estado de Israel.

      

Posted by Francisco Geo

Quem sou eu

Formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF)(Licenciatura), Bacharel em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Curso de extensão em O&M pela Fundação Getúlio Vargas, Pós-graduado em gestão ambiental pela Ferlagos, Professor da rede estadual do Estado do Rio de Janeiro e da rede particular, professor de curso preparatório militar, cursos pré-vestibular.

Artigos populares

Tecnologia do Blogger.

- Copyright © Geografia para todos -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -